sábado, 6 de abril de 2013

2.8 - RIBEIRAS E PONTES - III

2.8.2 - Pontes do Porto - II


Ponte Luis I – no início da construção e inaugurada em 31 de Outubro de 1886 – O projecto foi do Engº. Theophile Seyrig e custou a elevada quantia de 403.000$000 reis. Vê-se a Ponte D. Maria II em segundo plano.


Ponte Luis I em construção – em primeiro plano a Ponte D. Maria II


Foto muito rara, de George Tait, em que se vêem as pontes D. Maria II (pênsil) e Luis I – somente poucos meses estiveram lado a lado, entre fins de 1886 a Maio de 1887.


Ponte Luis I – Vêm-se os pilares da ponte D. Maria II (Pênsil) e a restos da rampa de acesso à mesma - 1958 - à direita podem ver-se pequenas lojas do mercado da Ribeira.


Ponte Luis I – c. de 1903 – de notar a bilheteira de cobrança da travessia - 
Foto de Aurélio Paz dos Reis



Bilhete de portagem, de 10 centavos, da ponte Luis I


Ponte Luis I – Inauguração da passagem do eléctrico na ponte em 28/10/1905


Ponte Luis I depois de 1905 – já passa o eléctrico


Ponte Luis I – 1914


Ponte Luis I - Pórtico margem Norte



“Este espectro da ponte Luís I, faz sentir como ela estava no dia 1 de Setembro de 2003 às 11h56, encerrada à circulação motorizada, antes do início das obras para passagem do metro.” 
Do blog A Cidade Surpreendente


O Metro passou pela primeira vez em 2 de Agosto de 2005.


Foto de Tiago Azevedo Fernandes – A Baixa do Porto – 30/3/2013


Mergulho do tabuleiro inferior da ponte Luis I. Ainda hoje é muito comum ver-se esta juventude a saltar. Foto Paulo Pimenta, Público


… ou da borda da Ribeira, há muitos anos


Ponte da Arrábida – construção do arco


Porte da Arrábida – o cimbre


1962




Ponte da Arrábida – Foi em 1945 que, motivado pelo muito movimento de viaturas na estreita Ponte Luis I se começou a desenhar a ideia de construir uma nova ponte. Discutia-se muito se devia ser viária ou viária-ferroviária. Porém, em 1954, tomou-se a decisão de ser exclusivamente viária e na Arrábida. Foi desenhada pelo Eng. Edgar Cardoso e construída sob a direcção do Eng. José Zagallo. Foi inaugurada em 22 de Junho de 1963. Nos primeiros tempos o trânsito era diminuto e, recordámo-nos bem, os portuenses afirmavam que muito dinheiro tinha sido deitado ao rio. Na verdade, os automobilistas entendiam que seria uma grande e dispendiosa deslocação vir do centro para a Boavista e, entrados em Gaia, terem de voltar para trás, onde tinham as suas casas ou escritórios. Porém, quando se construiu a Via de Cintura Interna e, do lado Sul, se abriram novos arruamentos, bem como o rápido desenvolvimento das cidades a Ocidente, chegou-se a um ponto tal de estrangulamento de trânsito que foi necessário construir nova ponte. Quando havia um acidente na ponte ou seus acessos o Porto ficava bloqueado. 

Ponte da Arrábida . vídeo da construção 





Ponte S. João - “A Ponte Maria Pia satisfez as necessidades de ligação ferroviária norte-sul durante algumas décadas. Mas o rápido desenvolvimento de toda a região Norte, e do Porto em particular, levaram aos primeiros estudos dessa infraestrutura no segundo quartel do século XX, de que serviu de exemplo a ideia de ponte mista (em 1950) na zona da Arrábida, que obrigava a via férrea a atravessar toda a cidade, essa ideia foi abandonada pela sua dificuldade e custos de realização. Entretanto os anos passavam e a velha Ponte de Eiffel, não permitia às modernas máquinas ultrapassar os 20 km/h e com cargas limitadas, já que ela fora concebida para outras solicitações. Em 1984, e após o governo ter criado o Gabinete da Nova Ponte Ferroviária sobre o Douro (mais tarde chamado Gabinete do Nó Ferroviário do Porto), abriu-se concurso internacional para o projecto da nova ponte e dos seus acessos. O concurso foi ganho pelo projecto do professor Edgard Cardoso em Junho desse mesmo ano. A ponte foi projectada em forma de Pi, com um vão central de 250 metros, que em meados de 1991, constituiu um recorde mundial para pontes deste tipo”. Site da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.


Projectos para a Ponte do Freixo


“Esta ponte é de facto uma dupla ponte pois é constituída por duas vigas gémeas afastadas de 0.10 metros ao longo de toda a extensão”


“Nos finais da década de 80, os engarrafamentos nas pontes da Arrábida e Luis I eram frequentes, e isto acontecia numa altura em que se previa o crescimento substancial do parque automóvel em Portugal. Reconheceu-se portanto a necessidade de uma travessia alternativa.
A Ponte do Freixo foi inaugurada em Setembro de 1995 pela J.A.E., e o projecto ficou a cargo do Professor António Reis. Esta ponte é de facto uma dupla ponte pois é constituída por duas vigas gémeas afastadas de 0.10 m ao longo de toda a extensão. Tem um grande comprimento e vãos múltiplos, tendo na zona central uma cota muito inferior às suas vizinhas. A ponte tem 8 vaõs, sendo o principal de 150 metros a que se seguem para cada lado vãos de 115 m seguidos de outros menores. Cada uma das vigas tem uma largura de 18 m e alberga 4 faixas de trânsito. A sua localização é no extremo da cidade, as margens não são as típicas do porto, e o projecto nada tem de ousado, o que não aconteceu o mesmo com as restantes pontes do Douro...” Site da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.



Ponte do Infante – em construção



Decidida que foi a passagem do Metro do Porto pela ponte Luis I teria que ser construída uma nova para a substituir no trânsito automóvel. A ponte do Infante D. Henrique, ou somente do Infante, foi projectada pelo Eng. Adão da Fonseca. Foi inaugurada em 30/3/2003. Tem a extensão de 371 metros e a largura do tabuleiro é de 20 m. Liga o Bairro das Fontaínhas à Serra do Pilar. É, na nossa opinião, uma das mais belas que atravessam o Rio Douro.

Sem comentários:

Publicar um comentário