sábado, 13 de abril de 2013

FONTES E CHAFARIZES - II

2.9.1 - Fontes e Chafarizes - II


Fonte que ficava na esquina da Rua do Bonjardim com a actual Sampaio Bruno e que na altura ainda era Rua de Sá da Bandeira. Alimentada pelo manancial de Camões.



Fonte da Vila Parda – 1859 
A fonte de Vila Parda, datada de 1859, foi restaurada em 1940 e fica na rua do Bonjardim, numa reentrância da parede, entre o largo de Tito Fontes e a Rua do Paraíso. Embora a fonte ostente a data de 1859 parece que, no mesmo sítio, terá existido uma outra, embora mais pequena e com tanque, talvez anterior ao ano de 1613, data em que aparece referenciada em documentação. O nome “Parda”, segundo documentação antiga, parece derivar do facto de, nas redondezas, ter vivido uma mulher mulata ou parda. 
Sobre esta fonte, Horácio Marçal escreveu que “(…) a velha fonte era abastecida por nascente própria situada um pouco mais acima (…)”. 
Dados apresentados numa obra do séc. XIX dizem-nos que “a água nasce na rua Bella da Princeza em uma mina, indo alimentar a fonte de Villa Parda. No trajecto a água segue a mina e depois por tubos de chumbo no pior estado de conservação, rompendo-se repetidas vezes.” (Noronha, 1885).


Aguadeiros enchendo canecos – Praça do Pão, depois de Santa Teresa e finalmente Guilherme Gomes Fernandes – Neste local existiu uma fonte com três carrancas que estavam na Fonte da Natividade, na Praça D. Pedro. Foi substituída por este fontanário em 1905. Em 1915 também este foi destruído para dar lugar ao monumento a Guilherme Gomes Fernandes.


Aguadeiros – habitualmente eram homens vindos da Galiza



Fonte da Feira dos Carneiros ou chafariz de Camões – ficava na Trindade e hoje está nos jardins dos SMAS – a Feira dos Carneiros realizava-se na Trindade, no local onde hoje está a estação do Metro.


Chafariz do Laranjal 

“ No alto do Laranjal, quase à entrada da demolida Viela do Cirne, houve outrora uma fonte conhecida pelo burlesco chamadoiro de Fonte do Olho do C…, cujo acesso, por ficar em nível inferior da rua era feito por alguns degraus de pedra. No fundo, via-se a bica a deitar água para uma pequena pia e dela se abasteciam os moradores de vizinhança. Em meados do Séc. XIX, contudo, desta fonte já não se lobrigavam vestígios". - O Chafariz do Laranjal, esteve primeiramente no Largo de S. Domingos. Foi modificado e colocado no Laranjal em Fevereiro de 1854 e passou a receber água do manancial de Camões. Foi desmontado em 1916 quando da abertura da Avenida dos Aliados . Em 1943 foi reconstruído nos jardins dos SMAS…


… e está actualmente no Largo da Trindade em frente da Igreja.


Escudo real da antiga Fonte do Largo S. Domingos – esta foi demolida em 1922, tendo o escudo ido para a entrada dos SMAS.


Esta fonte estava na sacristia do Convento de S. Domingos e actualmente no Jardim de S. Lázaro. Foi aqui colocada, em 1838, quando os liberais acabaram de destruir o convento, muito danificado durante o cerco do Porto. È de mármore cor de rosa, branco e cinzento – foto de Monumentos Desaparecidos.


Fonte da Rua das Carmelitas - estava encostada ao Mercado do Anjo


No meio do mercado existiu esta fonte

 

Arca do Anjo 
Construida no extinto Mercado do Anjo, que abriu ao publico em 1839 no local onde está agora o Shopping dos Clérigos. A arca recebia a água dos mananciais de Paranhos e Salgueiros que, depois de ali misturada, ía abastecer as freguesias de Victória, Miragaia, S. Nicolau e Sé. Foi demolida em 1949 e reconstruida nos jardins dos SMAS – foto Invictatur.


Fonte do Largo do Padrão – ficava na esquina das Ruas de Santo Ildefonso e Coelho Neto


Construída em 1718 na Rua das Oliveiras. Em 1824 foi remodelada com projecto de Joaquim Costa Lima Sampaio e acrescentados a concha e o peixe. Foi mudado para o local actual, na confluência das Rua dos Mártires da Liberdade e General Silveira, em 1881.


Praça Marquês de Pombal - Fonte com bica em forma de peixe


Praça do Marquês de Pombal - Esta fonte luminosa estava na Praça D. João I e foi para aqui mudada em 2006 quando, naquela praça, se abriu o estacionamento subterrâneo.




Palácio de Cristal – fontes da entrada


Palácio de Cristal – foto Letícia Vaz. 



Palácio de Cristal – duas fontes com carrancas – estas carrancas estiveram na Fonte da Natividade até 1832 e na fonte da Praça de Santa Teresa até 1905. Vieram para o Palácio devido à substituição da fonte pelo fontanário que acima já apresentámos.


Fonte da Quinta da Macieirinha – Museu Romântico.


Fonte do Largo da Maternidade Júlio Diniz – antigo Campo Pequeno. Houve desde 1826/1828 um chafariz no lado Sul desde largo. Em 1964 foi demolido e edificado o actua no centro.



6 comentários:

  1. Caros amigos, por acaso sabem se a Fonte que esteve no Largo do Padrão é a mesma que está na Praça das Flores ? Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Boa noite caro amigo,
    Não temos bases históricas para fazer qualquer afirmação, salvo O Tripeiro Série VI, Ano IV, página 236. Neste local está escrito que o Dr. António Emílio de Magalhães morava perto da fonte do Padrão e afirmou ter esta fonte sido destruída, embora não diga o ano. Não podemos porém deixar de concluir que são parecidas, embora vários pormenores sejam diferentes. Um grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Rui Cunha,
      Já descobri que a Fonte que está na Praça das Flores esteve na esquina de D. João IV e Firmeza. Em qual delas não sei. mas também não interessa.
      Um abraço de amizade

      Eliminar
  3. Caro amigo Jorge Portojo,
    Muito obrigado pela sua informação que vamos registar.
    Um grande abraço
    Maria José e Rui Cunha

    ResponderEliminar
  4. Caros amigos, voltei a utilizar os vossos excelentes serviços para uma postagem minha no Vida em Fotos. Sobre o Chafariz do Laranjal. Ainda não veio a público. Mas não tarda. Um abraço de amizade

    ResponderEliminar
  5. Caro amigo Jorge Portojo,
    Ficamos muito satisfeitos que o nosso trabalho lhe possa ser útil, pois as fotos são de todos. Pode dispor do nosso blogue nos seus excelentes trabalhos, sem qualquer problema.
    Um abraço
    Maria José e Rui

    ResponderEliminar