quinta-feira, 20 de julho de 2017

CERCO DO PORTO VII

8.1.11 – Cerco do Porto - Lutas pela Serra do Pilar, Incêndio do Convento de Santo António do Vale da Piedade, Incêndio dos armazéns de vinho de Gaia, Retirada das tropas miguelistas, Fome e doenças no Porto, Preços antes e durante o cerco 


Em 1920 ainda estava muito destruído pelas lutas do cerco de 1832


Nota-se um buraco na parede da igreja provocado por um obus de artilharia miguelista. Esta zona foi muito atingida porque ao lado da igreja, no Largo da Bataria como lhe chama o povo, estava colocada uma bateria liberal que atacava os miguelistas em Gaia. Estes respondiam.


Porto visto da Serra do Pilar – Skeiton – 1828


Reprodução de gravura publicada em 1833, dedicada a D. Pedro, duque de Bragança, representando a encosta da Serra do Pilar (incluindo militares e populares), Vila Nova de Gaia, o Rio Douro e a cidade do Porto, durante o Cerco.
Autoria: Charles Van Zeller (des.); Robert Havell (grav.).
Pela serenidade e paz que são representados os figurantes terá sido desenhada depois do Cerco do Porto.


Convento de Santo António do Vale da Piedade


In O Tripeiro, Volume V



Incêndio nos armazéns da Quinta de Noval – 20/10/1971


Armazéns da Sandeman após incêndio de 24-4-1979


In Portugal Antigo e Moderno – segundo autores teriam sido mais de 10.000 pipas destruídas.




Portugal Antigo e Moderno


Ribeira - foto de Emílio Biel




O cerco do Porto visto por um estrangeiro – In O Tripeiro, Série V, Ano III


Filas para comprar produtos racionados - 1943


Senhas de racionamento


In O Porto por fora e por dentro de Alberto Pimentel

Uma das melhores provas dos sofrimentos e dificuldades dos portuenses aquando do cerco foi o enorme aumento de preço e escassez de bens de consumo. Para se ter uma ideia da gravidade deste problema indicamos alguns preços em 7/7/1832, antes do cerco, e durante o cerco (em reis):



In Portugal Antigo e Moderno

Anos depois a família abriu falência fruto, sobretudo, da vida faustosa e destemperada que levava. Tendo sido elevado a Conde de Farrobo, o povo chamava-lhe Forrobodó, pois as festas e concertos eram constantes.

1 comentário:

  1. Olá
    Ficamos então a sabe r de onde vem o termo «Forrobodó»...
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar