quinta-feira, 18 de junho de 2015

CAPELA DE SANTO OVÍDIO + ADENDA

Capela de Santo Ovídio





Imagem de Santo Ovídio – Segundo as hagiografias do século XVI, Ovídio era cidadão romano de origem siciliana. A tradição afirma que foi enviado para Braga, Portugal, pelo papa Clemente I, onde foi o terceiro bispo no ano 95. Foi mártir pela sua fé cristã no ano 135. Está sepultado na Sé de Braga. É considerado o advogado das dores de ouvidos e dos maridos infiéis.
A Capela de S. Bento e Santo Ovídio foi construída pelo Dr. João Carneiro de Morais e sua esposa no ano de 1665, em terreno da sua Quinta da Boavista, que depois se chamou de Santo Ovídio. Tinha a frente para a estrada de Braga, junto da actual Rua dos Mártires da Liberdade. Pertenceu aos Padres Agostinhos Descalços até 1787, que terão construído um hospício para descanso dos seus padres. Em 1780 estes frades compraram à Universidade de Coimbra o Convento e Igreja de S. Lourenço (Grilos) para onde se mudaram. Em 1787 a família Figueiroa comprou a capela, já muito degradada. Foi destruída nos anos 90 do séc. XVIII.

ADENDA AO LANÇAMENTO DA CAPELA DE SANTO OVÍDIO DE 22/9/2014


Na planta acima, de meados do séc. XIX, encontra-se, bem junto de Quinta de Santo Ovídio, um pequeno rectângulo com uma cruz, sinal de templo sagrado.
Há dias um nosso leitor atento e muito conhecedor da cidade referiu-nos já ter lido que a Capela de Santo Ovídio estaria localizada onde se encontra o Quartel de Santo Ovídio e destruída para a edificação deste. 
Decidimos aprofundar este assunto, que nos levou a encontrar pelo menos duas versões dispares. 
A primeira, a que fazemos referência no nosso estudo, é a de que os Figueiroa a compraram aos frades Agostinhos Descalços em 1787, muito degradada, e teria sido destruída em 1790. Porém, parece-nos que os Figueiroa, ao compra-la, tivessem a intenção de a reconstruir.
Encontramos uma segunda hipótese, a referida pelo nosso leitor.
Em O Tripeiro Série V, Ano V, Vasco Valente mostra-se surpreendido com o facto de a capela ter sido destruída para a construção do quartel. Eis o texto:


Assim sendo ficámos sem saber ao certo a localização da Capela de Santo Ovídio, embora continuemos inclinados para a nossa versão.
Encontrámos também o assento de casamento de Eça de Queiroz, realizado na Quinta de Santo Ovídio, que refere: 
“Aos dez dias do mês de Fevereiro do anno de 1886….no oratório particular da Exmª. nubente…”.
Artur de Magalhães Basto (O Tripeiro, Série V, Ano X) escreve: 
“O casamento foi celebrado na capela particular da velha casa ou solar da grande e frondosa Quinta de Santo Ovídio”.
Seria este “oratório” ou “capela” dentro da casa da quinta? Ou seria a tal capela de Santo Ovídio a que tratámos no nosso trabalho? 
Ou terá havido uma outra capela no local onde se construiu o quartel.
Se alguém, mais conhecedor deste assuntos nos puder ajudar, ficar-lhe-íamos muito grato.

Sem comentários:

Enviar um comentário