quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

COMBOIO XIII - LINHA DO DOURO I

6.26.4 – O Comboio XIII - Linha do Douro I 


1888

Aberto o concurso público para a construção da Linha do Douro, e como não apareceu ninguém, o Estado Português assumiu todos os custos relacionados com a sua construção, através de um plano apresentado em 1872.
As obras na Linha do Douro tiveram o seu início em 8 de Julho de 1873.
Esta linha para além de transportar pessoas, permitia levar ao interior norte do país, sementes, adubos entre outros produtos, e escoar a produção agrícola, especialmente o vinho.
A linha do Douro, foi inaugurada entre Campanhã e Penafiel em 1875 tendo chegado a Barca d’Alva em 1887. 
A ligação internacional foi, no entanto, encerrada em 1 de Janeiro de 1985, e o troço entre Povinho e Barca D’Alva fechou em 18 de Outubro de 1988.

Linha do Douro – Porto ao Pocinho


Antiga estação de Ermezinde



Estação de Ermesinde

Vídeo


Automotoras na estação de Ermesinde


Cete - vídeo


Recarei - Sobreira - Vídeo


Estação de Paredes – vídeo

Companhia dos Caminhos de Ferro do Norte de Portugal – filme de André Pereira da Moura de 1930 – Alargamento de 10 centímetros da via;


Antiga estação de Novelas - Penafiel

“1.ª Viagem de Comboio a Novelas 
No dia 29 de Julho de 1875, foi inaugurado o 1.º troço da Linha do Douro numa extensão de 30,311 Kms, entre Ermesinde e Penafiel (Novelas). 
O comboio saiu do Porto, pouco depois do meio-dia, levando o Sr. Ministro da Marinha, vereadores, governador civil, General da divisão e outros funcionários, jornalistas e vários cavalheiros importantes do corpo comercial. 
Na estação estava reunido bastante povo, que saudou entusiasticamente a partida da locomotiva N.º 21, a “Douro”, a qual foi recebendo pelo caminho as câmaras de outros concelhos. 
Todas as estações (Valongo, Cête, Paredes e Penafiel), estavam vestidas de gala, e a aglomeração de pessoas era extraordinária. Em Novelas, na extinta estação, foi servido um lanche de 180 talheres.


Locomotiva a vapor Beyer & Peacock de 1875
Características da locomotiva “Douro”
Ano construção – 1875
Construtor – Beyer Peacock
Timbre da Caldeira – 8Kg / cm2
Esforço de tracção – 4720 Kg
Tipo de distribuição - Stephenson/Plana
Capacidade de aprovisionamento:
Água – 7.000 L
Carvão – 3.000 Kg

A partir do dia 30 de Julho de 1875, os penafidelenses poderiam socorrer-se daquele excelente e rápido meio de transporte, para se deslocarem à cidade do Porto e vice-versa.
Em 1876, os preços dos bilhetes entre Porto e Penafiel (Novelas), eram os seguintes:
1.ª Classe – 740 réis; 2.ª Classe – 580 e a 3.ª Classe 410 réis.
1.ª Ligação da estação de Novelas à cidade de Penafiel.
Como a estação de Novelas distava 3 Kms da cidade de Penafiel, o Sr. Carlos José de Sousa anunciava, no jornal “O Penafidelense” de 26 de Agosto de 1884, que a partir do dia 25 de Agosto ia estabelecer corridas de trens entre a cidade e a estação de Novelas e vice-versa.
Para isso estabeleceu um escritório em casa do Sr. Joaquim Baltazar Pereira Guimarães, na Rua Formosa (hoje Av. Sacadura Cabral), donde partiam os carros para os comboios da manhã às 5 ½ e 8 ½ horas, e para os de tarde às 2 ½ e 5 ½.
Propostas para os primeiros vendedores, na estação de Novelas
Até ao dia 20 de Dezembro de 1894, a Câmara Municipal de Penafiel, recebe propostas para a venda de água doce, doces, fruta, regueifas, etc., na estação do caminho-de-ferro desta cidade.
É ponto assente, que o comboio foi um dos factores que mais contribuiu para o progresso e crescimento da freguesia de Novelas”. In Penafidelense, terra nossa



Horário de 1875 - Uma preciosidade


“Máquina” que foi vendida pela Carris do Porto para a ligação de Entre-os-Rios, Penafiel e Lixa. Trataremos este assunto em local próprio.



A “máquina” acima referida


Estação da Livração - vídeo

Livração pertence à freguesia de Toutosa, na parte norte do concelho de Marco de Canaveses, e a respectiva estação serve também algumas freguesias vizinhas. Como pontos de interesse nesta zona destacam-se a Igreja da Senhora da Livração; a Igreja Paroquial de Constance (templo de origens românicas), a Igreja Matriz de Santo Isidoro, exemplar da arquitectura românica rural; a Ponte sobre o Tâmega, em Sobretâmega, de origens romanas e considerada Monumento Nacional; e a Igreja românica de Santo André, em Vila Boa de Quires, também classificada como Monumento Nacional.
A Linha do Tâmega, originalmente denominada de Caminho de Ferro do Valle do Tamega ou Linha do Valle do Tamega, é uma ferrovia de via estreita (1000 mm) no norte de Portugal, que liga a estação de Livração (na Linha do Douro) à estação de Arco de Baúlhe, numa extensão total de 51,733 quilómetros; foi inaugurada, na sua totalidade, no dia 15 de Janeiro de 1949, tendo sido completamente encerrada em 2008, por motivos de obras de beneficiação, no troço entre Livração e Amarante.


Marco de Canaveses - vídeo


Foto Emílio Biel

Sem comentários:

Enviar um comentário