quinta-feira, 16 de outubro de 2014

CONVENTOS DE RELIGIOSOS - III

3.12.2 – Convento de S. Francisco - I





Gravura de J. Holland (1838) – Saída do Santo Viático - Em séculos passados, quando saía o Santo Viático tocavam os sinos das igrejas próximas, ao qual chamavam de “O Senhor Fora”. Ouvindo isto, as pessoas que estavam disponíveis nas redondezas juntavam-se ao cortejo, acompanhando-o às casas a visitar e confortar as famílias dos doentes. 

À esquerda da gravura pode ver-se o lado Sul do Convento de S. Francisco por baixo do transepto da igreja. Mais à esquerda vê-se a lateral de uma pequena capela que supomos ser a de Santo Elói, padroeiro dos ourives da prata. Esta capela existiu antes de os frades Agostinhos Descalços construírem o Convento de Nossa Senhora da Consolação ou dos Loios.
Os frades franciscanos chegaram ao Porto em 1233, mas divergências com o Bispo do Porto sobre o local da sua construção só permitiram que o seu primeiro convento fosse terminado em 1241.


Papa Gregório IX

Estas graves divergências chegaram ao conhecimento do Papa Gregório IX, que, em 1237, mandou duas bulas, uma para o Bispo do Porto e a outra para o Cabido, ordenando que permitissem os franciscanos a construir o seu convento. 
Dado o seu estado degradado foi reconstruído no séc. XVIII. 
“Em 24/7/1832 o convento foi destruído por um violento incêndio, dia em que o exército liberal regressava ao Porto depois da memorável batalha de Ponte de Ferreira”. (Horácio Marçal). 
Em 1841 foi doado pelo governo à Associação Comercial do Porto para a construção do Palácio da Bolsa. 


Igrejas do Convento de S. Francisco e dos Terceiros Franciscanos – Photo Guedes - 1900


Portal barroco do séc. XVII
Muito admirada é a rosácea gótica que simboliza a Rota Fortuna ou Rota Nativitatis Nostra.


Igreja do Convento de S. Francisco – O primitivo local de culto do convento poderá ter sido a ermida de S. Miguel. A actual Igreja de S. Francisco foi construída entre 1383 e meados do séc. XV, com o apoio de D. João I. É o único edifício que subsiste do antigo convento. 
A Igreja apresenta um portal barroco dos finais do século XVII, rematado por nicho albergando uma imagem de S. Francisco de Assis. No século XVIII foi grandemente restaurada no seu interior que a tornou numa das jóias da talha barroca. 
Após o incêndio do convento, de 1832, a igreja foi profanada e serviu de armazém da alfândega. Sofreu uma importante remodelação em 1840 e foi restituída ao culto. 
Ao lado da Igreja de São Francisco, no Porto, encontra-se a Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco, em virtude do desejo da irmandade em erguer uma igreja com maiores dimensões. Igreja de estilo neoclássico, a primeira do Porto, iniciou-se a construção no ano de 1792 sob a direcção do italiano Luigi Chiari, o que explica a influência do estilo clássico italiano. (ver descrição desta igreja na publicação de 2/9/2014 – ORDENS TERCEIRAS…)



Interessantíssima foto de Armando Tavares – A perspectiva e o efeito das lanças de ferro.


Durante o restauro muita da talha foi retirada, como se pode ver no chão. Felizmente a igreja ficou muito bem restaurada. Seria demasiada talha?...


Foto Alvão


Capela-Mor


Lateral direita


Altar da Senhora da Saudade




Árvore de Jessé


Árvore de Jessé 
A grande atracção são as esculturas barrocas entalhadas em madeira, e em especial a obra “A Árvore de Jessé”, que mostra a árvore genealógica de Cristo. Feita de madeira dourada e pintada, foi esculpida por Filipe da Silva e António Gomes, entre 1718 e 1721.


Altar da Virgem do Leite



Pormenor do tecto


Germano Silva fala sobre a Igreja de S. Francisco

Igreja de S. Francisco - vídeos

1 comentário:

  1. Olá
    Obrigado por partilhar mais esta lição de História.

    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar