domingo, 15 de junho de 2014

RODA DOS EXPOSTOS

3.11.5 - Roda dos Expostos



Esta gravura mostra as duas fases da entrega de uma criança na Roda. De fora, um casal coloca a criança na Roda, com o pai olhando em volta para se certificar que ninguém os vê, e dentro, uma ama ou freira com a criança ao colo.


Exemplar da Roda – blog Dias que Voam


Texto de O Tripeiro Volume 6 de 15/3/1927 

Os maridos das amas que amamentavam os enjeitados eram dispensados das obrigações militares durante o período de aleitamento. Em casos de necessidade eram alugadas cabras para fornecimento do leite. 
Durante a ocupação da cidade pelos franceses, em 1809, a câmara não tinha como alimentar os expostos pelo que pediu autorização par retirar um conto de reis dos cofres, o que lhe foi concedido.


O Hospício foi construído em 1730. A Roda ocupou-o de 1838 a 1854.


Capela do Senhor Jesus do Calvário Novo – Segundo Horácio Marçal “a ermida, edificada no séc. XVII conservava um largo alpendre ou galilé (como era uso quase corrente nas capelas rurais) para abrigar das intempéries os inumeráveis fiéis que a ela acorriam. Paredes meias fundaram os frades Antoninos do Vale da Piedade um recolhimento – Hospício de Santo António da Cordoaria – onde anos depois se instalou a Roda dos Expostos”.


Ao lado pode ver-se a porta do mercado do peixe que esteve aí até 1950. Foi destruído para a construção do Palácio da Justiça.


Mapa do livro de ARC, página 134


A Roda dos Expostos no Convento de S. Bento de Avé Maria.


Roda no Recolhimento do Ferro – foto de Jorge Portojo


Roda na Igreja do Convento de Santa Clara, á direita da porta.
Houve outros locais onde existiu a Roda, sobretudo nos conventos femininos e instituições de caridade.

Sem comentários:

Enviar um comentário