domingo, 20 de março de 2016

MATOSINHOS, LEIXÕES, LEÇA DA PALMEIRA - VII

6.3.15 - Matosinhos, Leixões, Leça da Palmeira


“Pharolim” de Leixões em dia de festa


Praia de Matosinhos – 1913 – banheiro Alberto Pinguinhas



Leça da Palmeira em 1927. Retrato fiel da época: as pessoas, habitações, profissões, património, como se vestiam, como se divertiam... O rio Leça, as lavadeiras, as pontes, o comboio, as praias, a pesca da sardinha e as conserveiras. Construção do Molhe Norte, o Porto de Leixões...


1950

Tesouros da Matosinhos – Joel Cleto

Os primeiros surfistas - 1927 



Bombeiros Voluntários de Leça da Palmeira

Leça da Palmeira vista do ar


Esperando os barcos


Traineira Flamingo


Chegados da pesca



Leixões – praia da sardinha – 1910


1900


Leixões - arranjando as redes


A lota de Matosinhos - 1950


Separação e venda de peixe na praia

Leixões – Cinemateca Portuguesa – 1933 - Descrição: Faina do Porto de Leixões. Caranguejo, adubo da terra - Leça da Palmeira; o tratamento das redes. A faina da sardinha. O Farol da Boa Nova. 
Filme muito interessante. Vale a pena gastar 16 minutos a vê-lo


Leça da Palmeira 1900 - Oficialmente, forte de Nossa Senhora das Neves, começou a ser construído em 1638-39, visando a defesa da costa contra as ameaças de piratas e corsários. Após a Restauração, considerando a sua grande importância estratégica para a defesa da barra, as suas obras foram retomadas, destacando-se uma guarnição para a fortificação. Durante as Guerras Liberais, em 1832, o forte foi objecto de diversas melhorias. No séc. XX, as suas instalações foram entregues à Capitania do Porto de Leixões que nelas se instalou. Encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1961 e em boas condições de conservação.

Mistérios de Leça da Palmeira


Marginal de Leça da Palmeira - 1950

Matosinhos – Horizontes da memória - video 


Praia de Leça da Palmeira - 1970 

Leça da Palmeira de outrora



Rua de Santa Catarina,467 – casa onde nasceu António Nobre. Viveu parte da sua juventude em Leça da Palmeira.


Casa, na Avenida Brasil, onde morreu António Nobre.



Monumento a António Nobre – Leça da Palmeira

“Na praia lá da Boa Nova, um dia,
Edifiquei (foi esse o grande mal)
Alto castelo, o que é a fantasia,
Todo de lápis-lazúli e coral!
Naquelas redondezas não havia
Quem se gabasse dum domínio igual:
Oh, castelo tão alto! Parecia
O território dum senhor feudal!
Um dia (não sei quando, nem sei donde)
Um vento seco de deserto e spleen
Deitou por terra, ao pó que tudo esconde,
O meu condado, o meu condado, sim!
Porque eu já fui um poderoso conde,
Naquela idade em que se é conde assim…”

Versos de António Nobre

António Nobre – biografia a poemas

Aspectos de Leça da Palmeira, Matosinhos e Leixões – 1927 – Muito interessante 

2 comentários:

  1. A foto da 1ª praia não é a de Leça.
    Trata-se da Praia de Matosinhos. O Molhe Sul não me desmente.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado pela sua rectificação. Na verdade foi distração nossa, pois já a havíamos publicado como tal quando tratamos da Foz.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar